Novembro Azul: Câncer de Próstata

Novembro Azul: Câncer de Próstata

A campanha Novembro Azul surgiu na Austrália e ficou mundialmente conhecida como símbolo de atenção à saúde masculina. Hoje, o câncer de próstata é o que mais mata os homens no Brasil. Convidamos o urologista Marcell Lins para explicar e desmistificar alguns mitos sobre a doença.

O que é?

O câncer é uma multiplicação celular de forma anormal. Essa mutação genética ocasiona o que conhecemos pelo nome de tumor. Portanto o câncer de próstata não é diferente: algumas células se desenvolvem e se multiplicam na glândula masculina de forma anormal. Essa patologia é a segunda mais comum entre os homens no Brasil, ficando atrás somente do câncer de pele não melanoma.

Que exames devo fazer?

O urologista Marcell Lins salienta que os métodos mais utilizados para o diagnóstico são o Toque Retal e o PSA. Esse último, investiga uma proteína produzida pela próstata. “Se houver alguma alteração nos exames, o urologista deve solicitar uma biópsia. E é justamente esse exame que evidencia o câncer”, explica.

Tratamento e Cura:

Há tratamento e cura para o câncer de próstata. Entretanto, a opção do tratamento curável só existe se houver um diagnóstico precoce do tumor. O médico alerta: “o câncer de próstata pode ser tratado de forma curável quando descoberto precocemente. Caso ele seja identificado na sua fase avançada, será tratado paliativamente”. “Quando diagnosticado cedo, existem dois tipos de terapêutica: a cirurgia ou a radioterapia. A primeira pode ser realizada pelo método convencional (aberto), robótica (operado por um robô) ou pela laparoscopia (cirurgia assistida por câmeras). Agora, quando descoberto tarde, a doença não tem cura. No entanto, pode-se amenizar o quadro com a quimioterapia e o bloqueio hormonal”, ressalta o urologista.

Mitos:

Existem alguns mitos que cercam a doença, um deles é que homossexuais, ciclistas e motociclistas têm maior probabilidade de ter o câncer, já que existe um contato na região da próstata. Contudo o médico desmistifica: ”na literatura médica, os únicos fatores de riscos conhecidos atualmente são: hereditariedade, disposição genética e hábitos não saudáveis como o tabagismo, o sedentarismo e a má alimentação. Andar a cavalo/moto ou bicicleta ou fazer o sexo anal não têm comprovação científica com o surgimento do câncer de próstata”, comenta.

Conselho do Urologista:

Fique atento para prevenir o câncer de próstata adquirindo hábitos saudáveis, como: manter uma alimentação equilibrada e saudável, praticar atividades físicas e dormir bem. Aliado à mudança do estilo de vida, o homem deve fazer exames periódicos, incluindo a ida anual ao urologista. “ Muitos pacientes têm medo de fazer os exames, ser diagnosticado, ter que tratar e sofrer as sequelas. Uma das sequelas mais temida é a disfunção sexual. Contudo, é válido informar que o quanto antes diagnosticado, menor é o risco de sequelas e maior chance de cura! Não podemos deixar o medo ou o preconceito ser maior que nossas vidas” finaliza o urologista Marcell Lins.

×